samedi 26 avril 2014

Leituras paralelas (22)


SOMBRA


Estou sentado de frente para as coisas, com livros
de história da arte, tão velhos, a preto e branco,
e a tempestade a mover-se mais depressa que o esperado. 
Não sejam as cores alegres, mas antes tristes
e graves, que por onde a sombra passa tudo cobre.

É uma sensação medonha ver fechar a porta grande,
perceber logo na pele os estilhaços que provêm
do vazio, mais pesados do que o ar, inodoros, sem sabor.
De repente a chuva pára. Vê-se um fiozinho de luz
e a cidade a ir comer à sua mão.


- VÍTOR NOGUEIRA


*


AOS AMIGOS


Amo devagar os amigos que são tristes com cinco dedos de cada lado.
Os amigos que enlouquecem e estão sentados, fechando os olhos,
com os livros atrás a arder para toda a eternidade.
Não os chamo, e eles voltam-se profundamente
dentro do fogo.
- Temos um talento doloroso e obscuro.
construímos um lugar de silêncio.
De paixão.


- HERBERTO HELDER

Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire