jeudi 21 février 2013

CASA DE HÓSPEDES



Estás próximo e és uma saudade.
Tudo neste estranho lugar
se desdobra próprio, para quem reflecte
a razão da sua serenidade
em música, quase inexistente, quase familiar.

Em cada parede há uma pausa. Retratos
íntimos. Livros de folhas soltas.
A tua alegria é um gesto calmo, conveniente.
Na suavidade ambiente
chovem pétalas envoltas
de desejos simples.
Mornos nos meus ombros acaricio dois gatos.

Avisei que levassem estas flores.
É perigoso dormir com rosas.
Corram os estores.



Manuel de Castro, Paralelo W
 (edição do autor)

Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire