dimanche 17 février 2013

Domingologia



(1)




desde muito cedo comecei a desenvolver essas qualidades
sem valor. a mesma técnica aperfeiçoada na infância a entrançar cordas
pode ser usada
para fazer nós de gravata. ao espelho,
yorick deita-me a língua de fora quando me olho
antes de sair para o trabalho. lembro-me de ti.
vias documentários sobre vida marinha aos domingos à tarde
a inventar profissões inverosímeis para
um habitante dos subúrbios de uma cidade distante, com
o mar nunca demasiado longe ou perto. 
a tua personalidade foi sempre o teu futuro.
todas as decisões te levariam a uma casa
semelhante, a uma vida idêntica e feliz. mas
a felicidade nunca esteve nos planos e por isso yorick
ri-se de mim: de fato e gravata a correr para apanhar o autocarro
com os movimentos treinados no jogo da apanhada.
o sucesso é muito difícil de medir. fazes nós de gravata, quando Curtis
usou a mesma técnica para se enforcar com uma corda da roupa.
levarás muito mais tempo a obter um resultado semelhante. 



Tiago Araújo, "Yorick"
in Deitar a Língua de Fora, Lisboa: Língua Morta, 2012

Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire