mercredi 23 janvier 2013

NÃO IMPRECISO, INCOMPLETO


Sentado à mesa,
parto o pão com as mãos

e a toalha
enche-se de migalhas,
como se algo nesse gesto escapasse ao próprio gesto.

Há sempre perda:
                            até mesmo agora
uma parte de mim não me pertence.

Lá fora
também se esfarela o dia:

cada floco de neve é uma trégua.



Josep M. Rodríguez, A Caixa Negra
trad. Manuel de Freitas, Lisboa: Averno, 2009

Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire