samedi 19 janvier 2013

Hoje (sábado), às 22h, Nuno Moura lê NUNO MOURA:

[...]


6.
Apanhou um táxi e disse, – um desastre quanto é?


[...]


16.
Duas voltas na chave.

O que será que a mulher sente
por lhe abrir a porta todas as noites?

Uma certa viragem para ela
dos sentimentos do trinco?


[...]


24.
Um homem sai à rua.

Estranha que a mercearia tenha portas com abertura
automática de segurança.

Repara que os pássaros que voam por são bento
vêm equipados com vista desarmada.


[...]


38.
Diz-se às vezes da poesia
o que o matreco diz
de uma mão sem pulso. 


[...]


61.
Na janela terceiro esquerdo estranho,
um homem vê televisão muito tempo seguido.

A um momento parece-lhe ouvir alguém sair.

Sabia que não vivia sozinho.
Portanto, se nada se tivesse passado com o hamster,
devia ter sido
a sua mulher. 


"Histórias muito pequenas e muito más"
in Os Livros de Hélice Fronteira, Regina Neri, Vasquinho Dasse, Ivo Longolmel, Adraar Bous, Robes Rosa, Estevão Corte e Alexandre Singleton, Lisboa: Mariposa Azual, 2000


Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire