vendredi 23 novembre 2012

P de Parabéns (II)

NASCEMOS PARA O SONO


 
Nascemos para o sono,
nascemos para o sonho.
Não foi para viver que viemos sobre a terra.
Breve apenas seremos erva que reverdece:
verdes os corações e as pétalas estendidas.
Porque o corpo é uma flor muito fresca e mortal.


Herberto Helder
in Poesia Toda I, Lisboa: Plátano Editora, 1973

Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire